Melhores Livros de George Orwell

Um escritor que vem se destacando na lista dos mais vendidos. Os 6 melhores livros de George Orwell.

#1 Livro George Orwell
A revolução dos bichos: Um conto de fadas


Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século XX, A revolução dos bichos é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos.

Mais de sessenta anos depois de escrita, ela mantém o viço e o brilho de uma alegoria perene sobre as fraquezas humanas que levam à corrosão dos grandes projetos de revolução política.

Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

#2 Livro de George Orwell
1984



Publicada originalmente em 1949, poucos meses antes da morte do autor, George Orwell, essa sátira política ambientada em uma distopia futurista influencia a literatura até hoje.

1984 é um dos mais importantes romances de ficção científica do século XX. 

Nesta obra magistral, acompanhamos o drama de Winston Smith, um funcionário do Ministério da Verdade, parte do governo do superestado da Oceania ― que inclui as Américas, a Austrália, a Inglaterra e o sul da África.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

#3 Livro de George Orwell
A planta de ferro



Ambientado em Londres, em 1930, tem como tema principal a ambição romântica de Gordon Comstock de desafiar a adoração do deus do dinheiro e do status. 

A Planta de Ferro referência à aspidistra não é tão agressivamente político quanto as obras mais famosas de Orwell. 

O romance está mais preocupado com as relações interpessoais, mas ainda aborda as questões maiores do capitalismo, do socialismo e a divisão de classes de forma sombriamente humorística. 

O olhar nada sentimental aos detalhes reveladores com seu humor seco e sereno, seu fascínio pelas loucuras e sua corajosa recusa em aceitar o conforto de respostas fáceis é o que faz com que o livro seja quase sempre engraçado, sem nuances de amargor.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

#4 Livro de George Orwell
A Flor da Inglaterra



A Flor da Inglaterra, foi publicado pela primeira vez em 1936, sendo um dos grandes romances de crítica social escrito por George Orwell

É ambientado na cidade de Londres de 1930 e o tema principal é a ambição romântica de Gordon Comstock de desafiar a adoração do deus do dinheiro e do status, e a vida sombria que resulta disso.

Embora pessimista, A Flor da Inglaterra, não é um livro amargo, mas constantemente arejado e frequentemente engraçado, e isso de deve a atenção constante de Orwell aos detalhes reveladores; seu humor seco e sereno; seu fascínio pelas loucuras e pela excelência de seus personagens; além de sua corajosa recusa em aceitar o conforto de qualquer resposta fácil.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

#5 Livro de George Orwell
Por que escrevo



Breve coletânea de um dos maiores ensaístas contemporâneos. 

O livro Por que escrevo traz textos sobre o poder dos livros e da leitura, a importância da linguagem e a necessidade de se escrever. Tudo isso com a habilidade característica do autor de 1984.

Seja demonstrando a falácia da linguagem política, dissecando o preço real dos livros ou proclamando verdades dolorosas sobre a guerra, os ensaios de George Orwell são atemporais e mostram sua relevância para qualquer período, país ou leitor.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

#6 Livro de George Orwell
Na pior em Paris e Londres



A primeira parte é um relato de como um escritor vivia em situação de quase miséria em Paris e a experiência de trabalho temporário em cozinhas de restaurantes. 

Publicado pela primeira vez em 1933, este é um livro de memórias fictício, mas também um pouco autobiográfico que trata da pobreza nas duas cidades. 

A segunda parte trata-se de um diário de viagem na estrada dentro e ao redor de Londres sob a perspectiva de um desocupado, com descrições dos tipos de acomodação em albergues disponíveis e de alguns dos personagens encontrados vivendo à margem de tudo.